Início do conteúdo

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) criou a campanha Bora Vacinar. O objetivo é conscientizar pais e responsáveis sobre a importância de imunizar as crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19, uma vez que a vacina é a melhor arma disponível contra o novo coronavírus.  

Para criar a campanha, foram ouvidos especialistas no tema e levado em conta uma Nota Técnica emitida pelo Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG). O documento, enviado ao Ministério Público brasileiro, usa critérios científicos e jurídicos na sua composição, inclusive para orientar a atuação institucional.  

Para auxiliar nessa conscientização, sobre a importância da vacina para as crianças e para a coletividade, as peças da campanha abordam temas como efetividade dos imunizantes, tipos aprovados para a faixa-etária de 5 a 11 anos e os efeitos colaterais.  

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ministe?rio Pu?blico de Minas (@mpmg.oficial)

 

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ministe?rio Pu?blico de Minas (@mpmg.oficial)

Spot Vacinação

Em ações de esclarecimento de dúvidas, por exemplo, a médica pediatra Marcela Damásio, assessora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (CAO-Saúde), explica como as vacinas atuam no organismo, inclusive aquelas aprovadas para uso infantil no Brasil: a CoronaVac e a Pfizer pediátrica. 

Ela deixa claro que as vacinas liberadas para essa faixa-etária não são experimentais e foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) brasileira e por vários órgãos reguladores internacionais, inclusive dos Estados Unidos e da União Europeia.  

A pediatra fala que, antes de chegar à fase de uso, os imunizantes passam por vários testes clínicos e pré-clínicos que avaliam a segurança, a efetividade e a geração de anticorpos. Tudo seguindo critérios científicos rigorosos de controle sanitário.    

A campanha também tenta desmitificar a ideia de que crianças não desenvolvem casos graves de Covid-19. No Brasil, somente em 2021, ocorreram 3.185 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), associados à doença, o que acarretou 145 óbitos de crianças entre 5 e 11 anos, segundo o Instituto Butantan, com dados do Ministério da Saúde.

Como defensor da saúde, dos direitos das crianças e da Constituição, o Ministério Público de Minas Gerais apoia e incentiva a vacinação infantil. A segurança das crianças também está em suas mãos.  

Publicaremos uma série de vídeos sobre esse tema em nossos canais. Fique atento, compartilhe e #boravacinar! 

Assinatura Cejor

 

Final do conteúdo