VoltarImprimir

Memória em Destaque

Memória em Destaque

O projeto Memória em destaque tem como objetivo divulgar a história do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) por meio do acervo do Memorial da instituição. Mensalmente, objetos, documentos, fatos ou biografias são destacados no ambiente expositivo e apresentados nos veículos de comunicação da Procuradoria-Geral de Justiça, onde são evidenciadas peculiaridades e informações técnicas, descritivas e narrativas dos itens expostos. 

Série especial: ouvidores do Ministério Público

“Leis da União e dos Estados criarão ouvidorias do Ministério Público, competentes para receber reclamações e denúncias de qualquer interessado contra membros ou órgãos do Ministério Público, inclusive contra seus serviços auxiliares, representando diretamente ao Conselho Nacional do Ministério Público”. Assim, a Emenda Constitucional nº 45, de dezembro de 2004, determinou que os Ministérios Públicos criassem suas ouvidorias.

A Ouvidoria do Ministério Público de Minas Gerais foi instituída pela Lei Complementar Estadual n.º 94, de 10 de janeiro de 2007, e regulamentada pela Resolução PGJ nº 27, de 5 de abril de 2008, com o objetivo de contribuir para elevar continuamente os padrões de transparência, presteza e segurança das atividades dos membros, órgãos e serviços auxiliares da instituição. Desde então, tem sido um canal permanente de comunicação com os cidadãos, entidades representativas da sociedade civil e órgãos públicos.


Destaque do mês

Ruth Lies Scholte Carvalho (2012 a 2016)

Nascida em Ouro Preto, Ruth Lies Scholte Carvalho graduou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, em 1971, e, no mesmo ano, formou-se em Letras pela Faculdade de Filosofia de Belo Horizonte.

Ingressou no Ministério Público em 1983, passando pelas comarcas de Espinosa, Mateus Leme, Caeté, Contagem e Belo Horizonte.

Em 1993 foi promovida a procuradora de Justiça. Foi membro do Conselho Superior do Ministério Público nos exercícios de 1994, 1997, 1998 e 1999, membro da Câmara de Procuradores de Justiça no biênio 1997/1998 e procuradora-geral de Justiça adjunta jurídica no biênio 2008/2009.

Foi a primeira diretora administrativa da Associação Mineira do Ministério Público, entre 2001 e 2003, 1ª vice-presidente do órgão, de 2003 a 2005, e ainda atuou no Conselho Nacional de Justiça, como representante dos Ministérios Públicos estaduais, no primeiro exercício do órgão (2005-2007).

Ocupou o cargo de ouvidora do Ministério Público de Minas Gerais nos períodos de 2012 a 2014 e de 2014 a 2016.

Confira os destaques anteriores: