VoltarImprimir

Notícias

Pessoas com Deficiência10/05/2019
Por intermédio do MPMG, Aspac inaugura novo espaço para realização de equoterapia com crianças e idosos com deficiência
Por intermédio do MPMG, Aspac inaugura novo espaço para realização de equoterapia com crianças e idosos com deficiência

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa do Direito de Família, das Pessoas com Deficiência e dos Idosos (CFDI), participou, na manhã desta sexta-feira, 10 de maio, da inauguração da nova sede da Associação de Pais e Amigos do Centro de Reabilitação (Aspac), no bairro Ipiranga, em Belo Horizonte.

A pedido do MPMG, o espaço, onde funcionava o Corpo de Bombeiros, foi cedido pelo município à ONG em comodato, por tempo indeterminado, para a realização de equoterapia com os pacientes. O novo imóvel oferece espaço mais amplo e adequado para o trabalho filantrópico e de assistência social realizado pela associação, há 18 anos, para a habilitação, a reabilitação e a promoção social de crianças, adolescentes, adultos e idosos com diferentes tipos de necessidades especiais.

Atualmente, 540 pessoas são atendidas gratuitamente pela Aspac, na sede do bairro Planalto, sendo que 54 delas praticam a equoterapia. São tratadas, principalmente, crianças com paralisia cerebral, autismo, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), microcefalia, síndrome de down e idosos com sequelas de acidente vascular cerebral (AVC). A equipe de trabalho inclui profissionais de psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, cuidadores de cavalos e guias laterais. Atualmente, são utilizados dois cavalos na equoterapia.

O coordenador estadual de Defesa do Direito de Família, das Pessoas com Deficiência e dos Idosos, procurador de Justiça Bertoldo Mateus de Oliveira Filho, destacou a importância do tratamento especializado para os pacientes e disse esperar que o novo espaço possibilite o aprimoramento das atividades desenvolvidas pela associação. A presidente da Aspac, a psicóloga Claudia Lá-Badie, agradeceu o apoio do MPMG e falou dos ganhos da equoterapia para os praticantes. “Em muitos casos, o tratamento em consultório não é suficiente. A criança precisa de algo mais. Entre os benefícios da equiterapia, estão o equilíbrio, a concentração, a melhora na autoestima, na fala e na aprendizagem”

Cuidadores de cavalo
Por meio de convênio realizado com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a Aspac oferece curso de cuidadores de cavalo e guias laterais para jovens de 18 a 24 egressos do sistema prisional. Os jovens recebem acompanhamento psicológico e são treinados para desempenhar as funções. O guia lateral é a pessoa responsável por guiar o cavalo enquanto o profissional de fisioterapia ou de terapia ocupacional realiza o trabalho com a criança. “Temos tido um resultado fantástico de ressocialização e inserção desses alunos no mercado. Eles podem trabalhar em fazendas, em outras clínicas de equoterapia ou mesmo ser contratados para trabalhar aqui”, comemora Cláudia.

O cuidador de cavalo Humberto Vagner explica que, na equoterapia, são usados cavalos mais velhos e dóceis, adequados para o tratamento especial dado às crianças. O trabalho desenvolvido pelos animais é considerado leve e intercalado por períodos de descanso. Além dos cuidados que os equinos recebem, cada praticante é orientado a levar, em cada sessão, um agrado para ser entregue ao animal no final, como uma cenoura ou uma maça. “Dessa forma, cria-se um vínculo entre o cavalo e o praticante, e o animal entende que está fazendo um bom trabalho”, esclarece Humberto.




Ministério Público de Minas Gerais
Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa
Twitter: @MPMG_Oficial
Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial
Instagram: www.instagram.com/MPMG.oficial
10/05/19