VoltarImprimir

Notícias

Institucional07/11/2018
Parceria entre MPMG e PM amplia atendimento a pacientes que buscam tratamento equoterápico
Parceria entre MPMG e PM amplia atendimento a pacientes que buscam tratamento equoterápico

Uma parceria envolvendo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) possibilitou a reforma do Centro de Equoterapia do Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes (Cercat) e instalação de uma cobertura na área de picadeiro. A inauguração das melhorias, que irão ampliar o atendimento a pacientes que buscam o tratamento equoterápico, ocorreu nesta quarta-feira, 7, e contou com as presenças dos promotores de Justiça Celso Penna Fernandes Júnior e Maria de Lurdes Santa Gema, da Promotoria de Justiça da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte.

Segundo a major PM e presidente da Associação Feminina de Assistência Social e Cultura (Afas), Maria de Fátima Rufino Figueiró Lourdes, “para ampliar o atendimento, realizado desde 1995, era preciso reformar o Cercat e cobrir a área de picadeiro. Com o intuito de obter os recursos necessários, fizemos uma parceria com   América Futebol Clube, Clube Atlético Mineiro e Cruzeiro Esporte Clube. A campanha, feita em 2017, foi denominada Torcida mais solidária de Minas Gerais. Por meio dessa parceria e de doações conseguimos arrecadar cerca de R$ 260 mil, sendo possível realizar as reformas e instalar a cobertura no picadeiro, destaca a presidente da Afas.

De acordo com o promotor de Justiça Celso Penna Fernandes Júnior, “o MP observou que em alguns processos judiciais, que envolviam a questão do tratamento equoterápico, muitos pacientes realizavam o procedimento em clínicas particulares e depois buscavam, na Justiça, o reembolso via estado ou município. Diante dessa situação, percebemos a necessidade desse serviço e a falta de regulamentação pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ao tomarmos conhecimento do trabalho realizado pela PM, propomos uma parceria com o objetivo de estruturar melhor o Cercat”, explica o promotor de Justiça.

Ainda segundo Celso Penna, no momento em que a parceria foi estabelecida, uma campanha da Afas com os clubes de futebol da capital estava em curso. “Com a parceria, o MP conseguiu doar computadores e móveis por meio da Procuradoria-Geral de Justiça. Além disso, o MPMG está trabalhando em conjunto para que Afas e Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) firmem um contrato para a cessão de outros profissionais da Fundação Hospital de Minas Gerais (Fhemig). Hoje alguns profissionais  são cedidos pela PBH e trabalham no Cercat no período da manhã. Nossa ideia é conseguir, junto à prefeitura, outros profissionais da Fhemig para prestarem serviços no período da tarde, o que irá ampliar o atendimento”, destaca Celso Penna.

A promotora de Justiça Maria de Lurdes Santa Gema, destaca que “são diversos pais que buscam na Justiça acesso ao tratamento de equoterapia para crianças que tem algum tipo de deficiência física ou mental. Na Promotoria de Justiça verificamos que estado e município estavam sendo reiteradamente condenados a arcar com o tratamento da equoterapia. O custo mensal para a realização do tratamento é de aproximadamente R$ 8 mil. Diante desse quadro, começamos um trabalho para diminuir essas ações judiciais colocando à disposição desse público uma atendimento de qualidade prestado pelo próprio estado e também pelo município de Belo Horizonte. Foi a partir dessa necessidade que buscamos uma parceria com a PMMG e Afas para reformar o Cercat e potencializar o atendimento”,  explica Maria de Lurdes.
 
Cercat e equoterapia
De acordo com o subtenente José Geraldo Nunes, comandante do Cercat, a área disponível para atendimento, incluindo a parte administrativa e o picadeiro, tem cerca de 1.000 m². “Antes, sem a cobertura do picadeiro, que recebeu telhas termoacústicas, os atendimentos eram interrompidos devido às condições climáticas (chuva e sol forte). Agora isso não será mais um problema e os horários de atendimento poderão ser ampliados. Além disso, os tratamentos em curso não serão interrompidos, o que trará benefícios aos pacientes.”, explica o subtenente.

Os atendimentos realizados pelo Centro de Equoterapia são oferecidos gratuitamente, sendo realizados semanalmente. “Hoje existem cerca de 900 pacientes na fila e alguns chegam a esperar quatro anos para iniciar o tratamento”, explica a major PM Fátima Rufino.

A maioria dos praticantes de equoterapia no Cercat são crianças com até 12 anos de idade. O restante são adolescentes, jovens e adultos.

A equoterapia, de acordo com a major PM, é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência. O tratamento propicia atendimento a mais de 30 patologias. Na equoterapia o cavalo atua como agente promotor de ganhos a nível físico e psíquico. Esta atividade exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força muscular, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio.

Fonte: Cercat
Ministério Público de Minas Gerais

Superintendência de Comunicação Integrada

Diretoria de Imprensa
Tel: (31) 3330-8016/3330-8166

Twitter: @MPMG_Oficial
Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial

Instagram: www.instagram.com/MPMG.oficial

07/11/2018


Compartilhar: