VoltarImprimir

Notícias

Meio Ambiente29/05/2015
MPMG quer impedir maus-tratos a animais em rodeio em Patos de Minas

Caso pedido seja atendido, não poderá haver provas de montaria durante a ‘Festa nacional do milho 2015’

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) propôs Ação Civil Pública (ACP) para acabar com os maus-tratos a animais na Festa nacional do milho (Fenamilho), em Patos de Minas. Durante os rodeios, animais domesticados são tratados com crueldade para que se comportem como selvagens, garantindo assim o espetáculo. Caso o pedido do MPMG seja atendido, os organizadores da festa não poderão realizar, permitir ou autorizar provas de rodeio, em montaria ou de laço, em nenhuma de suas modalidades, sob pena de multa no valor de R$ 180 mil.

Entre os dias 4 e 7 de junho, ocorrerá a Fenamilho 2015, festa promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Patos de Minas no Parque de Exposições Sebastião Alves do Nascimento. No local do evento, serão realizadas provas de rodeio nas modalidades de montaria, prática que, no entender do Ministério Público, implica abuso e maus-tratos aos animais.

Durante os rodeios, nas provas de montaria, é comum o uso de esporas com rosetas pontiagudas, sedém (cinta que provoca dor na região da virilha), sinos, peiteiras e aparelhos que causam choque elétrico, para que os animais fiquem mais irritadiços, assustados e corcoveiem com mais vigor e intensidade. “Utilizados para fustigar os animais levados à arena, o sedém, as esporas e a corda americana, entre outros instrumentos afetos à prática dos rodeios, são instrumentos que, independentemente de sua forma e da capacidade de provocar lesões, causam inegável sofrimento físico e mental aos animais”, afirma o promotor de Justiça José Carlos de Oliveira Campos Júnior, responsável pela ACP.


Ministério Público de Minas Gerais
Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa
Tel: (31) 3330-8016/3330-8166
Twitter: @MPMG_Oficial
Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial
29/05/15