VoltarImprimir

Notícias

Meio Ambiente24/07/2019
MPMG faz balanço da atuação no caso do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho


A força-tarefa do Ministério Público de Minas Geiras (MPMG) que atua no caso do rompimento das barragens da Vale, em Brumadinho, reuniu-se nesta quarta-feira, 24 de julho, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, para fazer um balanço dos trabalhos feitos até o momento, véspera da data em que se completam seis meses do fato. Participaram da reunião promotores de Justiça que integram a força-tarefa e integrantes da Administração Superior da instituição.

O procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet, abriu a reunião agradecendo a dedicação de todos que estão trabalhando no caso. Tonet lembrou que, após Brumadinho, outras demandas sobre segurança de barragens surgiram em várias cidades do Estado.



Além disso, o trabalho deverá se estender, pois o desastre trouxe efeitos de longo prazo tanto na área ambiental, quanto na socioeconômica. Para Tonet, o resultado da avaliação de seis meses é positivo. “O importante é que o MP está trabalhando ao lado de outras instituições para identificar as causas e definir responsabilidades. Enquanto isso não acontecer nós não vamos descansar”, frisou.

O procurador-geral de Justiça Adjunto Institucional, Nedens Ulisses Freire Vieira, também elogiou o trabalho realizado até agora. “Vocês estão enfrentando uma tragédia criminosa que tem uma proporção imensa, não só no aspecto ambiental, mas no aspecto humano. E estão enfrentando uma empresa poderosíssima, tanto no aspecto econômico quanto político”, ressaltou.

A coordenadora da força-tarefa, Andressa de Oliveira Lanchotti, também avalia como positivo o resultado do trabalho dos últimos seis meses. Ela lembrou que, hoje, Minas Gerais convive com cerca de 30 estruturas sem estabilidade garantida, sendo que quatro delas estão no nível máximo de risco. A coordenadora lembrou, ainda, das dificuldades em se prestar assistência aos atingidos por esses empreendimentos. “Esses atingidos vêm recebendo um tratamento inferior àquele que é dado aos atingidos de Brumadinho. Tudo que se obtém a favor dos atingidos é obtido judicialmente. Não há uma boa vontade da empresa em assistir esses atingidos”, afirmou.

“O objetivo do Ministério Público é que todos os culpados sejam responsabilizados. Todo aquele que concorreu para os crimes de janeiro deve ser punido por isso. Isso demanda tempo, mas eu posso dizer que a sociedade pode ficar tranquila, porque o MPMG vem fazendo o seu melhor em busca dessa responsabilização criminal, em busca da reparação integral socioambiental e a reparação completa aos atingidos”, ressaltou Andressa.

Veja mais fotos da reunião.

Reunião força-tarefa 06 meses Brumadinho - 24.07.2019

Leia também

MPMG acompanha situação de barragens de mineração no estado



Ministério Público de Minas Gerais
Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa
Twitter: @MPMG_Oficial
Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial
Instagram: www.instagram.com/MPMG.oficial
24/07/2019