VoltarImprimir

Notícias

Direitos Humanos19/02/2021
MPMG adota medidas para acompanhamento da situação de moradores de área atingida por fortes chuvas em Belo Horizonte


Na sexta-feira, 12 de fevereiro, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) realizou vistoria na região da bacia do ribeirão do Onça, em Belo Horizonte, área atingida por fortes chuvas e alagamentos no dia 7 de fevereiro.

A perícia foi realizada pela Central de Apoio Técnico (Ceat) do MPMG a pedido da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos da capital. Foram visitados os bairros Primeiro de Maio, São Gabriel e Vila Suzana, onde as chuvas resultaram em inúmeros desabrigados e danos materiais.

O engenheiro civil Nadson Souza Carvalho concluiu que, apesar de as vias públicas estarem funcionando normalmente, a área atingida pela inundação é extensa e vários imóveis foram atingidos. Segundo relatório, as principais vias atingidas foram: Gilson Bretas, Oscar Lobo Pereira (antiga rua A), dos Trabalhadores, Sebastião Corrêa e Doutor Benedito Xavier, na Vila Primeiro de Maio; além das ruas Lúcio Bittencourt e dos Esportes, na Vila Suzana.

De acordo com a promotora de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos Cláudia Amaral, as informações serão utilizadas para auxiliar na identificação das famílias atingidas e dos danos materiais suportados, a fim de encaminhá-las para inclusão nas políticas de habitação e assistência social do município. O laudo da Ceat também será encaminhado à Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, para que sejam acompanhadas providências e obras relacionadas ao ribeirão do Onça e córregos Cachoeirinha e Pampulha, que desaguam na região.