VoltarImprimir

Notícias

Meio Ambiente27/09/2019
Estudos de dam break de 91 barragens da Vale em MG serão revisados por auditorias técnicas independentes

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Advocacia-Geral do Estado firmaram, em 23 de setembro, Termos de Compromisso com a Vale S.A, por meio dos quais a mineradora se compromete a elaborar e revisar os estudos de cenário de ruptura hipotética (dam break) de todas as suas barragens situadas em Minas Gerais, conforme critérios técnicos e cronograma pré-estabelecidos.

Os novos estudos de cenário de ruptura hipotética deverão ser realizados com base em dados técnicos específicos de cada barragem. A empresa deverá também identificar, nas manchas de inundação, as residências e equipamentos urbanos especiais tais como escolas, hospitais, presídios, bens culturais.

O acordo engloba, ao todo, 91 estruturas de 22 minas da Vale situadas em Minas Gerais e inseridas na Política Estadual de Segurança de Barragens, entre as quais várias não possuem estabilidade garantida (quatro delas classificadas em nível de emergência 3; duas em nível 2; e 11 em nível 1).

A elaboração dos estudos e o cumprimento do cronograma serão acompanhados por auditoria técnica independente, custeada pela mineradora, a ser realizada pela empresa Aecom do Brasil, que apresentará relatórios detalhados ao MPMG e a órgãos de estado mensalmente.

Pelo acordo, a Vale se compromete a considerar em sua atuação as recomendações emanadas da auditoria técnica independente além de adotar todas as medidas decorrentes da atualização das áreas de inundação, como revisão do Plano de Segurança das Barragens e, em especial, do Plano de Ações Emergenciais, inclusive com adequação de rotas de fuga e pontos de encontro, implantação de sinalização de campo e de sistema de alerta; estratégias para evacuação e resgate da população; comunicação; adequação de estrutura logística; resgate e cuidado dos animais e de bens culturais. Tudo deverá ser comunicado às autoridades competentes, submetendo a aprovação dos órgãos competentes, quando necessário.

Real área em perigo
O objetivo do acordo é dar conhecimento à população e aos órgãos de Estado sobre a real área em perigo na hipótese de rompimento de barragens, especialmente referente à zona de autossalvamento, permitindo a previsão de equipamentos de sinalização de situações de emergência e rotas de fuga, entre outras medidas, para salvar vidas humanas e animais.
 

Leia também

MPMG acompanha situação de barragens de mineração no estado

 


Ministério Público de Minas Gerais
Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa
Twitter: @MPMG_Oficial
Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial
Instagram: www.instagram.com/MPMG.oficial
27/09/19