VoltarImprimir

Notícias

Execução Criminal07/12/2017
Conselheiros do CNMP e promotores de Justiça de vários estados visitam Apac de Itaúna

Visita é parte da Ação Nacional em Defesa do Sistema Prisional que está sendo realizada pelo CNMP, na sede do Ministério Público de Minas Gerais

Conselheiros do CNMP e promotores de Justiça de vários estados visitam Apac de Itaúna

Como parte das atividades da Ação Nacional em Defesa do Sistema Prisional, realizada em Belo Horizonte nos dia 6 e 7 de dezembro, integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e promotores de Justiça de vários estados da federação fizeram, nessa quarta-feira, 6 de dezembro, uma visita à Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), em Itaúna. A visita foi coordenada pelo promotor de Justiça de Minas Gerais, Henrique Nogueira Macedo, que está à frente do Centro de Apoio Operacional das Promotorias Criminais, de Execução Penal, do Tribunal do Júri e da Auditoria Militar (Caocrim).

Os visitantes foram recepcionados pelo juiz da 1ª Vara Criminal, do Júri e de Execuções Penais da comarca, Paulo Antônio de Carvalho, que fez um retrospecto da criação da Apac de Itaúna e compartilhou suas experiências com o método. “A visita dos promotores de Justiça de diversas partes do país e de integrantes do CNMP é muito importante para nós, que acreditamos na metodologia Apac como uma excelente alternativa para a ressocialização dos recuperandos. Espero que vocês levem essa ideia para seus respectivos estados”, ressaltou o magistrado.

Recuperandos que trabalham na associação, além de explicarem como funciona o sistema Apac, também foram os responsáveis por conduzir os visitantes, durante as três horas de visitação, às diversas dependências do local: padaria, lavanderia, auditórios, celas, setores administrativos, oficina de artesanato, biblioteca entre outros.

Para o promotor de Justiça Henrique Macedo, “o sistema Apac é uma excelente alternativa em um país que vive o caos penitenciário, com mais de 700 mil presos. Existem outras iniciativas também legítimas, mas vislumbramos na Apac, um método próprio, sólido, seguro, constitucionalmente adequado, que respeita a Lei de Execução Penal e que tem uma prática exitosa nos últimos 33 anos”, destaca o coordenador do Caocrim.

Dados do TJMG indicam que os custos de um preso na Apac são menores que no sistema convencional em cerca de 50%. As despesas com a criação de uma vaga nessas unidades também são menores em aproximadamente 27%. A reincidência nas Apacs é de aproximadamente 20%, contra cerca de 75% no sistema prisional comum, no Brasil.

A implantação e a consolidação da metodologia apaqueana nas comarcas mineiras integram as ações desenvolvidas pelo Programa Novos Rumos do TJMG.

O coordenador do Caocrim, Henrique Macedo, acredita que com o apoio das comissões do Sistema Prisional e de Planejamento Estratégico do CNMP, e com a participação de promotores de Justiça de vários estados, “será possível criar um roteiro prático, efetivo e rápido para implementação de uma Apac, nas mais diversas comarcas, nas mais diferentes realidades sociais do Brasil”.

Clique aqui para ver fotos da visita à Apac e outras

Apac
A Apac é uma entidade civil sem fins lucrativos dedicada à recuperação e reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. O objetivo da associação é promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena.
Seu propósito é evitar a reincidência no crime e oferecer alternativas para o condenado se recuperar, assistência espiritual, médica, psicológica e jurídica prestadas pela comunidade.
 

Ação Nacional
A Ação Nacional é instrumento da Resolução CNMP nº 147/2016, que se desenvolve a partir de iniciativas das comissões permanentes do Conselho, sob a coordenação da CPE/CNMP. Destina-se, por meio de adesão voluntária dos ramos e das unidades do MP, a contribuir na elaboração e consecução de projetos e iniciativas que permitam atingir os objetivos estratégicos traçados no Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público.

Programação
A Ação Nacional em Defesa do Sistema Prisional segue com programação ao longo desta quinta-feira, dia 7, com previsão de uma plenária para consolidação do projeto e assinatura do acordo de resultados às 15h30 e encerramento às 18h.

MPMG reconhece método Apac para execução de pena no estado


Ministério Público de Minas Gerais

Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa

Tel: (31) 3330-8016/3330-8166

Twitter: @MPMG_Oficial

Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial

Instagram: www.instagram.com/MPMG.oficial
07/12/2017


Compartilhar: