VoltarImprimir

Eventos

24/09/2018 18:00
MPMG inaugura nova sede em imóvel histórico de Caeté

Data de início: 24 de Setembro de 2018 às 18:00 horas.

Data de fim: 24 de Setembro de 2018 às 19:30 horas.

Local: Promotorias de Justiça de Caeté

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) inaugura, no dia 24 de setembro, às 18h, a nova sede das Promotorias de Justiça de Caeté, a 53 km de Belo Horizonte . O imóvel, situado na Praça João Pinheiro, n.74/86, no Centro, é de propriedade do Estado de Minas Gerais e foi cedido ao MPMG para a implantação de sua sede própria.

A importância da instalação do Ministério Público no local se dá devido à reunião do Executivo, Legislativo e Judiciário na Praça João Pinheiro, facilitando, assim, o acesso da população a todas as instituições necessárias ao exercício da sua cidadania.

Imóvel histórico

O imóvel foi tombado no âmbito municipal pelas suas características de edificação colonial. O local  já abrigou a Escola Dr. João Pinheiro (1925), o Colégio Monsenhor Domingos Pinheiro, a sede da Prefeitura (1960) e a Biblioteca Pública da cidade. "Essa edificação é um acervo do patrimônio histórico de Caeté a céu aberto, representando o registro de acontecimentos e fases da história de um povo e de uma cidade", afirmam as promotoras de Justiça de Caeté Anelisa Cardoso Ribeiro  e  Daniza Maria haye Biazevic.

Segundo elas, o bem tombado estava em total estado de abandono e degradação quando o Município manifestou ao Estado seu desinteresse por ele e sua anuência quanto à cessão ao Ministério Público. Em 2016, foi possível a inclusão do restauro do bem no orçamento do projeto Sedes Próprias do MPMG.

"Essa obra foi um enorme ganho para a cidade de Caeté, pois há muito não se observava um restauro de tal envergadura, no qual o bem histórico é reparado em sua integralidade", consideram.

No decorrer das intervenções, foram observadas pelos engenheiros e arquitetos as características originais do bem, descobrindo-se, por exemplo, que a pintura original exterior era cinza e branca, e não azul, como se pensava. Quando necessário, o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e Natural de Caeté foi consultado para as devidas adaptações.

"O restauro do imóvel pelo Ministério Público de Minas Gerais conferiu-lhe a relevância histórica que merece, garantindo ao Município de Caeté o resgate de sua cultura", dizem Anelisa e Daniza. Elas ressaltam que, com a nova sede, os integrantes da instituição que passarem pela comarca farão parte da memória da cidade. "Serão garantidas prontas intervenções para sua conservação e cuidado, bem como um atendimento mais eficiente para toda a população da comarca de Caeté", acrescentam.

Caeté

A cidade de Caeté começou a ser ocupada na época do ciclo do ouro, quando bandeirantes peregrinavam pelas Minas Gerais do século XVII. O significado de Caeté, em Tupi-Guarani, é mata densa ou mata virgem, pois as primeiras minas de ouro lá descobertas foram em regiões onde havia mata densa.

Nesse contexto histórico, um dos fatos que mais marcou o Município foi a Guerra dos Emboabas, pela qual bandeirantes paulistas e moradores locais, denominados “emboabas”, guerrearam pela exploração das minas de ouro. No início de 1700, o povoado de Caeté foi elevado a vila, sendo chamado de Vila Nova Rainha, tornando-se o quinto município do Estado.

Contudo, com a decadência da era do ouro, no início de 1800, Caeté deixou de ser vila, somente readquirindo esse status em 1840, quando, por lei, foi criada a Vila de Caeté. No entanto, somente foi elevada a categoria de cidade em 1865.